domingo, 22 de junho de 2014

Desculpe Meu Amor

90% dos seus chiloques eu não entendo. Desculpe, mas eu simplesmente e francamente não compreendo!

Ah, meu Amor você é tão lindo! Isto porque, eu só notei o luar dos teus cabelos quando o dia raiou. Na verdade, eu me prendi e me perdi na profundeza do seu olhar, nos seus movimentos bruscos e ao mesmo tempo tímidos que mais pareciam os movimentos de um peixe fora d´água... Eis a mais bela contradição: se seus movimentos mais pareciam os movimentos desastrados de um peixe fora d´água, seus olhos (belos olhos castanhos por sinal) mais pareciam um oceano de emoção e de profundidade que no mesmo ritmo que me instigava a mergulhar, me intimidava, me fazia temer. E este temor era simples: era o simples medo de me perder.
Difícil escolha esta: nunca gostei de fazer escolhas por impulso, sempre preferi o conforto do meio do muro! Mas você e seu olhar, e sua pressa, e seu jeito impaciente, e aquele momento fulgaz ( talvez o único momento violento e decisivo ( além de relevante de toda a minha vida tediosa!), o instante era aquele: eu tinha de cair na armadilha dos seus olhos profundos, daquele labirinto, entende?!

Decidi então não pensar, por mais dura que fosse a tentação de ter sob o controle toda a situação, eu não poderia me dar ao luxo de comandar nada, porque qualquer movimento brusco daquele sonho, daquele ballet viria a converter aquele lindo sonho surreal em um triste e cinza cimento despertar. Em outras palavras, seria algo como deixar de ser uma das criações de Dalí para virar um personagem de Kafka. Não sei se você pode me entender, mas estar ao seu lado e descobrir em você o infinito e todas as possibilidades de desbravar a esta  direção, para mim é com permitir-se imortalizar-se, é transcender todas as barreiras do possível, é descobrir um mundo novo: é compreender que este mundo recém-descoberto só pode ser explicado por meio de um mito, de um milagre.

Não entendo meu Amor, me desculpe a ignorância e a falta de atenção de nascença que se manifesta quando eu te vejo e que as palavras se tornam inúteis, e que os pensamentos se vão e se perdem tal qual nuvem no céu... É que eu me perco meu Amor, ao seu lado, minha busca constante e violenta por compreensão perde o sentido. Eu não preciso entender, tudo o que eu preciso ganha forma e força, como um milagre, simplesmente explode e se materializa diante de mim, então eu me perco em meio a tantos e tantos paradoxos temporais, já que você se materializa diante de mim sempre de forma única, como da primeira vez. São milhares de vezes na mesma intensidade, mas apesar de tantas vezes seguidas, cada vez é única: estar com você é sempre uma descoberta para um novo mundo!


quarta-feira, 28 de maio de 2014

Você

Te amo tanto, tanto, tanto que pareço uma garota tola de filme romântico. Te amo tanto, tanto, tanto, que deixo para outro plano os argumentos semânticos.

Você é real, você é presente, eu te toco, eu te vejo, eu te sinto. E por mais que eu tenha te esperado tanto, por você eu esperaria até mais. Mas por sorte, não preciso mais te esperar: você está aqui comigo. E por mais que já sejamos tão íntimos e conhecidos um do outro - na verdade, desde o nosso primeiro instante juntos, - você me surpreende com algo novo. E sempre que isso acontece, minhas borboletas multi-coloridas voltam a se mover na barriga até me deixar leve e dançante como uma bolha de sabão no ar. Ás vezes eu te olho quando você se distrai, então loucamente fora de mim, fora do mundo cinza que me cerca eu penso: "Eu sou a garota mais rica em felicidade do mundo, danem-se os problemas, eu tenho a melhor pessoa do mundo ao meu lado. E meu Deus, ele é tão lindo, tão doce, criativo, engraçado e generoso! Sim ele é generoso: espiritualmente generoso. Ele quer compartilhar um mundo ao meu lado, não só uma vida, um afeto em comum, mas um mundo inteiro de possibilidades. E olha só, quem diria? Aqui ao lado dele, por mais que eu não assuma, eu também quero o mesmo que ele quer!"


Então acontece algo muito estranho, é aquela expectativa seguida de medo como a que temos ao entrar numa montanha-russa: o coração começa a acelerar, a respiração muda, dá medo e ao mesmo tempo um certo prazer pela aventura. Para a minha sorte eu olho ao meu lado e do começo ao fim da travessia é você quem eu vejo do meu lado, segurando a minha mão e me dizendo com um gesto: "que bom que você está aqui!" 

Você é um universo inteiro de constelações e super-novas, você é a própria explosão e o próprio eixo de si mesmo. E a cada descoberta que eu faço ao seu respeito, cada olhar trocado, toque, riso, abraço ou pensamento compartilhado eu me vejo dentro de uma minúscula nave espacial perdida em um universo absolutamente novo e admirável. Todas as minhas convicções, todas as minhas certezas e teorias à "filosofês" são detonadas de dentro para fora e de fora para dentro como o Muro de Berlim. É como se você, só você conseguisse romper com barreiras que até então eu "jurava" estar protegida. E quando o meu lado ditador menos se dá conta: aquilo ao qual eu sempre velei, protegi, ocultei do mundo exterior foge de mim e segue em sua direção. Os sonhos acabam por vencer o meu monstrinho racional que á esta altura se dá por vencido, porque lá no fundo, ele mesmo já não aguentava mais fazer força para sustentar "Regimes Falidos". O problema é que você me dá tanta esperança, tanta fé e tantos outros substantivos abstratos e relativos que a Realidade e todo o resto se tornam banais...



quarta-feira, 14 de maio de 2014

A tragédia de ser brasileiro

   Se o povo brasileiro tivesse juízo ele não seria nem tucano e nem petista, Nem fascista, nem socialista. Não trataríamos partidos políticos como times de futebol. Aliás, nem daríamos tanta importância ao futebol. Se brasileiro pensasse de verdade derrubaria estes sindicatos, estas lavanderias de governo, nos uniríamos para realizar uma profunda e legítima Reforma Política: mandaríamos Olavo de Carvalho e Marilena Chauí à merda já que pensaríamos por nós mesmos, seríamos capazes para tal. Perderíamos esta mania de santificar político corrupto.

    De Colônia Portuguesa à Republica dos Bananas, nascemos Colônia e apesar de hoje sermos Republica, nossa essência ainda é de Colônia submissa. Quando não vendemos a alma aos americanos, damos a cama e os bens para os cubanos. Veneramos os franceses e fantasiamos em segredo com os soviéticos e ignoramos os vizinhos que gritam e como retorno recebem nosso silêncio.

    Nos comovemos com os miseráveis internacionais, castigamos e enganamos à nós mesmos: "somos bons cristãos", mesmo os próprios ateus têm um pouco de cristão  virtuoso, solidário e desapegado. Mas apesar de tudo isso não vemos a nós mesmos através do espelho.

   Somos colônia, somos piadas, idólatras assumidos mas só por quem é de fora. Nós nada criamos, nada pensamos de nosso mesmo. Apenas copiamos: como máquinas, animais amestrados. Nós brasileiros, somos todos viciados em nossas próprias misérias, indiferente à realidade dos fatos, nos ofendemos quando contrariados e revidamos como bichos selvagens e conseguimos fazê-lo sem se dar ao trabalho de ver ou ouvir. Vivemos e nos alimentamos de uma e outras tantas esperanças vãs, utopias tolas.

   E qualquer coisa que contrarie nossa realidade relativizada em nossas mentes tão vazias reagimos como crianças altistas em crise. E assim, como numa tragédia orweliana  seguimos sem rumo, como múmias, repetindo à grosso modo aquilo que o Estrangeiro disse no passado e que não necessariamente condiz com nossa triste realidade.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Crítica à Esquerda

   Uma das principais objeções que eu tenho ao comunismo ou socialismo é a moral oculta que habita nesta doutrina. A grande maioria de seus defensores são ateus, para eles a Religião e a crença em Deus é um erro que  mais prejudica Homem e sua espécie, do que o eleva. Para muitos pensadores de Esquerda podemos substituir o Criacionismo por Evolucionismo, a Religião pela Ciência, a Metafísica pelo Materialismo.
   Considerando este pensar, me resta algumas dúvidas a este respeito: 


  • Se Deus não existe, se a Religião é apenas um instrumento de alienação, por que então, tais políticas esperam que o Homem voluntariamente abra mão do seu benefício ou necessidade em prol do outro? Se a Caridade ( do latim, Caritas) é uma virtude teologal e a Religião nada tem a nos acrescentar positivamente para o nosso progresso, não seria este um erro esperar que a caridade e o espírito de irmandade gratuita seja natural ao Homem Político? Seria possível uma sociedade perfeita, flexível, caridosa, igualitária e isenta de interesses particulares sem um Deus, apenas partindo de um materialismo histórico?  
  • E se isto é possível, seria justo impor à população aderir esta política? Partindo da premissa de que a evolução de uma espécie depende de vários exemplares que desenvolvem individualmente por seus próprios méritos, e que aqueles que não demonstram tal habilidade de adaptação simplesmente são extintos, defender a criação de uma sociedade planificada não seria o mesmo que negar a nossa própria evolução enquanto Homens? Negar nossa evolução individualizada não seria em prática antecipar a nossa extinção?
   A Bíblia Cristã possui pelo menos 1 premissa válida que valida a Caridade sem negar necessariamente o Homem enquanto indivíduo: "Amará ao teu próximo como a ti mesmo"   (Marcos 12:31) 
   
   Isto não significa que ao "Amar ao próximo", o filho de Deus deverá deixar de se amar. Na verdade, com base nesta premissa o que é proposto aqui é o princípio de igualdade. Nem altruísmo, nem egoísmo, apenas igualdade. O problema dos defensores do Comunismo/socialismo é querer nos empurrar uma série de normas e explicações subjetivas para que deixemos de viver por nós em favor do outro: seja um necessitado, seja um partido, seja um Estado. E é exatamente aí que mora o perigo: não podemos olhar ao próximo, zelar ao próximo sem antes olhar para nós mesmos. Negar a si em nome do outro implica na repetição daquilo que alguns ateus tanto questionam na conduta de Cristo: sua morte gratuita, sua fé cega e desmedida que implicou em morte. A diferença do Cristão para o Ateu de Esquerda é que: Cristo morreu para salvar a mim e aos outros, eu não preciso me sacrificar da mesma forma, o sangue do cordeiro já foi sacrificado para que eu pudesse ser salvo. Quanto à Esquerda, bem parece que muito sangue é derramado, muitos Homens, cordeiros ou bodes expiatórios são sacrificados e apesar de tudo isso, a Esquerda sempre exige mais sacrifícios voluntários.   

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Brasil terra dos "bananas"



Este é o meu país, este é o meu povo, esta é a regra. Para entender o silêncio e a inércia do Brasil diante dos conflitos nacionais e internacionais, para entender a falta de resposta do povo diante da Situação de países como a Ucrânia e a Venezuela, assim como os abusos e loucuras cometidas por nosso governo absurdamente corrupto, basta nos atentarmos aos ídolos do Povo Brasileiro:

O humorista mais célebre do país é um palhaço há muito ultrapassado que só teve emprego por assinar um contrato com uma das emissoras mais corruptas e "sinistras"  e fúteis do país. O palhaço DIDI há muito perdeu a graça, mas apesar disso, por ter sido ao longo dos anos referência de humor tornou-se arrogante e presunçoso. Este é apenas um daqueles que sente-se como quem tem um rei na barriga. Na verdade, está mais para aquele Rei a andar nu acreditando trajar sua nova e exclusiva roupa.
Nossos músicos da MPB são tidos como Reis. O mais famoso é o que mais hipócrita: é o Rei que por 20 milhões come carne (apesar de ter se declarado vegetariano) e que veta a publicação sua biografia não-autorizada (biografia esta que levou 15 anos de pesquisa por um historiador até então fã deste músico, trabalho este que recolheu declarações e até homenagens de pessoas influentes).
Por falar em Monarquia, temos um outro Rei: o rei do futebol. O Rei que renegou a filha que ele teve mas se negou em aceitá-la. Filha que morreu e teve de entrar na justiça para ser reconhecida. Um Rei mundialmente conhecido e admirado, mas que com base nas declarações oficiais não demonstra o menor respeito pela vida humana: ESTE É O REI DO FUTEBOL.
Por falar em FUTEBOL, temos um tal "Fenômeno" que apesar do carinho e admiração de um povo que por muito tempo o acolheu e o venerou - até mesmo em situações difíceis- ignora por completo nossas necessidades e reivindicações, pois prefere uma Copa do Mundo à investimentos naquilo que a população sofredora mais precisa. Não obstante, depois de tanto vexame, tanto descuidado e ingratidão com aqueles que até então o tinham como herói, o nosso "Fenômeno" da imbecilidade resolve tirar foto ao lado de um pré-candidato da oposição em ano de Eleição. Ato este que além de pouco ético, não ficou claro quem apóia quem.
Absurdo ou não o fato é que uma das pessoas que em teoria deveria ser a MAIS ESCLARECIDA dentre nós, justamente uma FILOSOFA conceituada, dita especializada em ética e política é aquela que se declara contra justamente a classe que mais gera empregos em seu país. É aquela que não é Classe Média e menos ainda miserável, apóia o Partido Comunista do Brasil e o PT e que acusa de fascismo a população que se opõe a um governo corrupto e opressor (que apóia ditaduras: cubana, venezuelana e soviéticas e tantas outras ditaduras socialistas).
Com tanta intelectualidade no Brasil, nos resta uma cantora de Funk ser tida por intelectual, apesar de suas músicas possuírem conteúdo impróprio para crianças, linguagem vulgar e desconexa sempre com palavras de baixo calão e erros de português, além da falta de musicalidade, poética ou conteúdo filosófico que justifique tanto reducionismo e superficialidade.
A ausência de lógica, conteúdo útil também estão presentes nas dúzias de apresentadores e famosos da TV ABERTA. Aqueles com poder de "formar opinião": nossos apresentadores, jornalistas, atores e celebridades instantâneas. Todos estes falam mais asneiras que os próprios asnos e preferem isto a chamar o público brasileiro à realidade.
E enquanto isto, um monte de políticos que brincam conosco, como se fossemos marionetes ou crianças. Nos manipulam, nos iludem, nos cativam e nos ferram. São especialistas, TODA esta corja em conchavos. Aprovam leis inúteis e cretinas, brincam com nossa saúde, segurança, fé e educação. São especialistas em corromper a Justiça, manipular valores Éticos, desviar verbas publicas, esbanjar privilégios. E ainda gargalham das nossas misérias, com suas caras de Santos.
Falando ainda em Política, vivemos em um Estado onde a população já não não distingue Polícia de Ladrão. É tanta cegueira e confusão que mais parece criança. Só que ao contrário das brincadeiras, toda esta confusão implica em perda de vidas inocentes. O Crime no Brasil está mais organizado que nossa segurança, como naqueles filmes de suspense, nunca se descobre o assassino antes de ser capturado.
O nível de corrupção no Brasil é tão alarmante que isto aqui virou uma espécie de Gotan City. O Estado está tão aparelhado, corrupto e ilógico que, mesmo quando um jurista cumpre com o seu dever, quando este homem honesto apenas faz aquilo que lhe cabe fazer, este jurista passa a ser tido por Super-Herói: um Batman. 
Em nosso desespero, procuramos por oposições ao Governo corrupto da vez. Mas eis a constatação: falta oposição significativa e incapaz de denunciar o que há de errado, que se omite para para não se comprometer, que se faz de indignada apenas para se promover, mas que infelizmente, é tão oportunista e canalha quanto o Governo atual.
E quem elege estes "heróis"? É o povo, é esta gente que tanto ama o Futebol, o Carnaval, a Bunda da mulher brasileira (ainda que não saiba respeitá-la). É o povo minha gente que reclama da inflação, mas que não fala em política. É o povo acostumado ao circo e pão, bunda, promessas vãs do governo, contenta-se com esmolas do Governo, que paga alto por não ver: seja no Congresso ou na televisão. É o povo que se especializa em futebol, mas não lembra do passado recente. É o povo que se cala perante os mandos e desmandos da louca e ignorante Presidente. É o povo que protesta contra o racismo através de fotos com bananas, mas que se cala, que não questiona o seu próprio preconceito praticado de modo tão natural que chega a parecer inocente: "brancos não sabem sambar, não entendem nada de samba", "mulher que bebe e usa mini- não é boa para casar", "preto quando não cagam na entrada, cagam na saída", "eu não sou negro, sou moreno", "japonês tem pinto pequeno", "homem tem que ter carro", "protestante é ignorante", "ateu é mau", "mulher não entende de futebol", "homem não chora", " se é contra as cotas raciais é segregacionista". 
Um povo que não abre mão de um agrado: uma esmola qualquer de um governo, um povo que se alimenta de esperanças vazias, como se a "esperança" matasse a fome. Um povo que demora mais que a média dos outros povos para aceitar mudanças, e quando finalmente aceita uma possibilidade, transforma este fato em Dogma. É o mesmo povo que segundo o ex-presidente Lula, - hoje beatificado por muita gente - "tem menos dignidade que os cubanos". 

É o povo que ora, mas que desconhece seu Deus. E por desconhecer seu Deus, santifica os Demônios. É o povo que desconhece sua história, vangloria-se de vitórias alheias, imita ou quer imitar o erro praticado por outros. O Povo que desconhece a própria força e desacredita na força de sua Pátria.   

Este é o nosso país minha gente. Este é um país de Bananas, no final, não ‪#‎SomosTodosMacacos‬, mas ‪#‎SomosTodosBananas‬. Porque o macaco ao contrário do brasileiro ainda é mais esperto, vai atrás de suas bananas. E as bananas que não pensam, que não se mexem e não reagem são apenas devoradas pelos animais. Desculpem Ucrânia, desculpem Venezuela, mas o Brasil que tanto gosta de ajudar os outros não está nem em condições de se ajudar.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Aos Homens

I

Quem és tu,
Homem, pra recusar o próprio pranto?
Que não chora, que controla,
Que decide, que é lógico,
Que não se perde, nunca erra:
De que se esconde tanto?

Quem é o Homem?
Tua força é tua forca.
Teu ofício não é difícil.
Teu sexo não é menos
complexo que o meu.

O Homem que finge não sentir.
-Ei, você! Não minta pra mim:
Homem que é Homem chora sim!

II

Seu caminhar imponente,
Ás vezes, de tão seguro,
Se passa por prepotente.
Mas apesar de tudo, Homem,
Tu ainda és fantástico!
Com teus olhos sempre atentos,
Ainda nos seduz, nos conduz.

Horas menino, horas mágico,
Suas palavras, agilidade
E seu senso prático.

O intrometido sempre quer
Dizer o que ou como fazer:
Mesmo quando eu não preciso!

Mas quando eu penso:
"Tudo está perdido!"
Mesmo tenso,
Novamente ele se mete;
Ele me abraça contra o peito
E promete:
"Tudo ficará sob controle".

Oras desde que o mundo, mundo é;
O mundo diz ao homem:
"Tu deves-te se se manter no controle".

III

Homem como és tolo!
Tu te negas a chorar, gritar, temer...
Bobo, menino bobo!
Tu que és louco.

Não somos nós o gênero fragil,
Mas tu, pobre Homem,
Que apesar de sempre tão ágil,
Te recusas a chorar.
-Quando, Homem, tu irá aprender?

IV

Faça de conta que ninguém
Sabe que tu és mortal.
Façamos de conta que é a tua vontade
Sempre prevalecerá no final.
Seu senso de direção, suas convicções,
Sua força bruta, seus neurônios,
Seu raciocínio, sua precisão ...

Homem tu és forte e
Habilidoso tu és:
animal, racional, diurno,
És Marte, és preciso como Saturno,
És sedutor como Júpiter
E és fertil e és criador como urano.

Tua alma és divina;
Tal qual a Natureza Divina,
Humana também é:
És Adão, Hércules, Sansão.
És Razão, e também, Emoção.

Dizem que menino não choram,
Não devem chorar.
Meninos são futuros Homens,
E os Homens devem ser fortes
Para melhor lutar.

Se desafiar tais ordens deixa de ser homem,
Menino te tornará.
Não temas, meu menino.
Conto de fadas é para meninas:
Homem chora sim.
Assim como através da chuva,
Aquela que o Divino chora
E molha todo o meu jardim.

Não tema chorar,
Não tema não saber o que fazer,
Não há o que temer:
Não destrua nossa força,
Assuma sua fraqueza,
Como nós, as mulheres,
Nossas incertezas.

Pode chora Homem,
Chore sempre que precisar.
Em alguma curva,
Apesar da visão turva,
Sempre haverá uma mulher
Pronta para te guiar.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Sentir, só sentir

Acordar e o primeiro sentido tido, obitido, o sentido de tanto sentir...
Tato.
Com "tato" e alguns sussurros intercalados com beijos acalorados.
Entre um beijo e outro, e outro e mais outro, um fugaz piscar de olhos:

Meus olhos de encontro aos teus,
meus lábios preso aos teus.

Tão leve, lentamente fecho os olhos,
e sigo com o sentido, sem o último sentido,
até o último suspiro...
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

   Em meu vívido sonho matinal, você me abraça ainda mais forte.
O calor e o pulsar do seu corpo sobre o meu, você me toma em teus
braços, meu corpo passa a ser teu.
   Nestas manhãs ao teu lado, não penso, apenas sinto.
Suas mãos, sua respiração me guiam a outro plano, ao desconhecido.
E por sentir, eu me entrego aos meus, aos teus e aos nossos desejos sincronizados.
Sem pensar, me dou por completo à deliciosa paixão voraz que nos consome neste instantes fulgaz.